© 2009 InfoVINHO I Confraria Black Tie

   

 Ucrânia

   A Ucrânia ocupa grande parte da costa do Mar Negro, incluída na península da Criméia (recentemente anexada a Rússia após um referendo popular), onde fica a mais importante área vinícola. O país possuia cerca de 125.000ha de vinhedos no ano 2.000, mais do que a África do Sul. O terreno é em geral plano, com exceção dos Cárpatos, no sudoeste, e das montanhas da Criméia, no sul.

    Graças à influência do Mar Negro, as vinhas não precisam de proteção contra o inverno. A condução é alta e bem espaçada, permitindo alta produtividade e mecanização. Contudo, a produção de vinhos de qualidade é prejudicada pela falta de integração. Muitos vinhedos ainda pertencem a cooperativas, e a vinicultura primária normalmente fica próxima, mas os vinhos jovens são então transportados até antiquadas fábricas centralizadas  para fermentação maloláticas e acabamento. Há   enorme demanda por espumantes, a maior parte exportada para a Rússia, que são produzidos em estilos diversos, do seco ao doce, muitas vezes com adição de aguardente devínica. A Criméia, com longa história e reputação em vinhos fortificados, possui um grande centro para pesquisas viticulturais em Magarach.

   A maioria da produção de vinho está sob o controle da Massandra Winery, perto de Yalta, cujo clima quente e ensolarado produz uvas muito maduras, ideais para a produção de vinhos fortificados.

   Construída para abastecer o palácio de verão do czar, hoje a adega é usada para finalizar e engarrafar os vinhos produzidos em uma rede de 25 vinícolas-satélites. Entre eles está o espumante Krim e o Ruby, um corterústico e robusto de Saperavi, Matrassa, Aleatika, Cabernet e Malbec. Numa coleção histórica dos fortificados mais famosos da Criméia lançada no Ocidenteno começo dos anos 90, há vinhos incríveis em estilos como porto e madeira. Os fortificados ainda são produzidos, mas em menor quantidade.

 

  Odessa, a segunda região mais importante, é mais conhecida pelos brancos secos, mas uma cepalocal relativamente nova, Odessa Black, se mostra promissora para tintos leves e de coloração profunda.

 

 

Variedades mais cultivadas:

 

Tintas : Saperavi, Bastardo.

 

Brancas : Rkatsieteli, Aligoté, Sercial, Riesling.

 

Principais Regiões Produtoras: 

  •  Crimea

  •  Odessa