© 2009 InfoVINHO I Confraria Black Tie

Sérvia, Montenegro e Kosovo

  A guerra, seu desfecho e as sanções que se seguiram causaram o declínio da indústria vinícola da antiga República Iugoslávia (que já foi um dos maiores exportadores de vinhos do mundo por atacado).

  Na Sérvia e Montenegro, havia 64.000ha cultivados em 2005, além de 5.000ha na província autônoma de Kosovo, onde a ONU comanda um programa para reestruturar a indústria vinícola e atrair investimentos.

 

 Ao Norte de Belgrado, a província de Vojvodina é uma extensão vitícolado interior da Croácia com cepas e estilos de vinhos em geral semelhantes, apesar da uva local Smeredevka produzir grandes quantidades de brancos cotidianos.

 

  Os vinhedos mais promissores estão nas colinas de Fruska Gora, com plantios de Merlot e Cabernet Sauvignon,ainda que as antigas vinícolas para produção em larga escala não possuam equipamentos ou técnicas para atingir todo o seu potencial.

 

  A Sérvia produzia cerca de 1/3 dos vinhos da Iugoslávia e era reconhecida por seus bons tintos. A cepa local Prokupac é cultivada em todas as suas regiões vinícolas, mas predomina em Zapadna Morava. Em Juzna Morava, perto da fronteira com a Bulgária, cultivam-se Cabernet Sauvignon e Merlot.

Montenegro sempre produziu apenas cerca de 2% dos vinhos iugoslavos e é mais conhecida pelo tinto Vranac, robusto e muito saboroso, da uva de mesmo nome.

 

Uvas mais cultivadas:

 

Tintas: Prokupac, Vranac, Cabernet Sauvignon e Merlot.

Brancas: Smederevka.