© 2009 InfoVINHO I Confraria Black Tie

 Líbano

 

 

   A cultura vinícola do Líbano é uma das mais antigas e constantes do mundo, com pelo menos 6 milênios de história. Nem a recente guerra civil de 15 anos fez parar a produção das vinícolas mais estabelecidas. Graças a essa continuidade, os vinicultores de padrão mundial desse pequeno país continuam os melhores da geração tradicional e escolhem a dedo os melhores da nova para manter a rica viticultura sempre firme no palco mundial. Cerca de 90% do vinho libanês são exportados.

    As cepas autóctones da região permanecem iguais desde o tempo dos fenícios ou mesmo antes: as brancas Obaideh e Merwah, por exemplo, existem no Líbano há cerca de 4.000 anos. Contudo, a indústria e a vinificação modernas foram moldadas em função do forte vínculo do país com a França. Os melhores produtores se baseiam nos métodos do Velho Mundo e empregam as melhores vinhas nobres francesas junto com as nativas. As ousadias com ênfase na fruta são enfaticamente rejeitadas em favor do equilíbrio, moderação e sutileza.

    Com o retorno da paz e da estabilidade em 1990, os vinicultores inovadores estão começando a diversificar a região, que já causa inveja a muitos enólogos mundo a fora.

    Seis milhões de garrafas oriundas da minúscula região viticultora do país são produzidas por apenas 14 vinicultores. As cepas francesas reinam supremas, e a excelente qualidade dos vinhos é reconhecida há décadas.

    A única área vitivinícola é o Vale do Bekaa, talvez o berço do vinho. Nessa terra histórica, os fenícios faziam e exportavam vinho há mais de 3.000 anos e há evidências de vinicultura em Baalbek, sítio arqueológico de Bekaa, onde nas ruínas romanas de 2.000 anos há um templo a Baco, deus romano do vinho. O Vale do Bekaa se estende das Montanhas do Líbano, 30 km a leste de Beirute às Montanhas do Antelíbano, 120km para o leste. A combinação de solo, altitude (900-1.100m) e muito sol confere frescor aos vinhos sem perda de concentração, propiciando equilíbrio e elegância.
    São condições perfeitas para brancos de excelente acideze tintos opulentos, densos, elegantes, redondos e concentrados, alguns admirados em todo o mundo.

   Variedades mais cultivadas:

   Tintas : Cinsault, Carignan, Cabernet Sauvignon, Merlot, Syrah.

   Brancas : Chardonnay, Sauvignon Blanc, Clairette, Merwah, Obaideh.