© 2009 InfoVINHO I Confraria Black Tie

  Chile

 

 

  O Chile é, sem dúvidas, o país da América Latina que possui os melhores vinhos tintos elaborados com a uva Cabernet Sauvignon, alguns dos quais colocados pelos especialistas entre os melhores do mundo. Os vinhos tintos de outras uvas, especialmente a Merlot, melhoram a cada dia e alguns também já se destacam mundialmente. Os vinhos brancos, particularmente os elaborados com as uvas Chardonnay e os Sauvignon Blanc, fracos até cerca de uma década atrás, melhoraram substancialmente.

   Uma das peculiaridades do Chile é o fato de não ter sido vítima da praga Phylloxera Vastatrix, que devastou grande parte dos vinhedos do mundo, devido à sua condição geo-climática, protegido pelo Oceano Pacífico à oeste e pela Cordilheira dos Andes à leste. Desse modo as parreiras chilenas são da espécie européia (Vitis vinifera) plantadas em "pé-franco", isto é, plantadas diretamente no solo, sem necessidade de enxertá-las sobre raízes de espécies americanas, resistentes à Phylloxera.

   Outra delas foi a descoberta de mudas da variedade Carmenère nos vinhedos de Merlot. Essa uva foi julgada extinta quando a Phylloxera dizimou os vinhedos europeus e como que renasceu no Chile. Atualmente a Carmenère é a variedade emblemática do Chile, da qual se produzem varietais e também diversos cortes em vinhos Top.

   Outras variedades que têm crescido no Chile são a Syrah, bem adaptada, com bons resultados em diversos vales e a Pinot Noir, surpreendendo com ótima tipicidade em sub-regiões mais frias.

   O Chile é um país com um território estreito, de 177 km de largura em média e 4300 km de comprimento. A vinicultura se desenvolve na parte central do território, numa extensão de 1.100 km.



 

Situado longitudinalmente entre a Cordilheira dos Andes e o Oceano pacífico, sua topografia particular cria vários climas diferentes influenciados pelo mar. Entretanto, no planalto central a serra costeira determina um clima mediterrâneo com verões quentes, pouca chuva e baixa umidade.

     Estas características formam um excelente ambiente para o cultivo de uvas. Além disso, a barreira formada pelos Andes impede o acesso de pragas tão danosas como a famosa Philloxera, permitindo o crescimento de parreiras sem enxertia, diferente do que hoje se tornou obrigatório no resto do mundo.

Regiões Produtoras:

 Valle del Maipo

O Vale del Maipo é a única região vinícola do mundo com vinhedos nos limites urbanos de uma capital de 5,5 milhões de habitantes. O vale abriga o maior número de vinícolas do Chile, muitas delas com uma longa tradição vinícola e caves do século 19.

 

  Os vinhedos variam desde os sopés dos Andes, onde os melhores Cabernets do país são produzidos, até o planalto central. Seu clima mediterrâneo é estável, com estações bem definidas e baixo risco de chuvas durante o período da colheita, o que garante condições ideais para o plantio de vinhedos e a produção de bons vinhos.

 

    Terroir  

    O clima em Maipo é continental,quente e seco, com 300 a 450milímetros anuais de chuvas (concentradasno inverno). Durante oito a nove meses do ano faz calor, com dias quentes e noites frias. Aqui, sente-se eventualmente oefeito do “El Nino” que pode aumentar o total de chuvas para
1.000 milímetros no ano, ou, do“La Nina”, que pode gerar uma seca extrema, baixando as chuvas para apenas 100 milímetros no ano.

 

     Os solos são jovens, originadosdo granito e de material vulcânico (quando mais perto dacordilheira). Embora pouco variado em termos geológicos, o granito pode se decompor de diversas maneiras, variando muito emtermos de textura (retenção de água) e profundidade, originando vinhos muito diferentes, mesmo em áreas muito próximas. As exceções em termos de solo são ao redor dos rios, pois as pedras se acumulam nas curvas do curso d’água e proporcionam melhor drenagem. O PH dos solos neste vale é, em geral, alto, gerando vinhos
de baixa acidez, mas com ótimos taninos e bom corpo.



 

 Valle de Colchagua

  Colchagua, o coração da tradição huaso no Chile, oferece uma interessante Rota do Vinho que leva o visitante através de suas principais vinícolas, cidades e museus para mostrar a importante herança cultural da região.

   Com o turismo e o desenvolvimento hoteleiro concentrados na cidade de Santa Cruz, o vale atrai o visitante para a cidade e as regiões em torno.

   Nas colheitas dos últimos anos, a absoluta ausência de chuvas permitiu um amadurecimento completo das diferentes variedades de uvas.

   Os períodos de colheita no vale variam de acordo com a localização e a topografia de cada vinhedo. A colheita, conseqüentemente começa na zona mais próxima dos Andes, continua duas semanas depois em torno de Santa Cruz e termina nas áreas de grande influência do mar.

 

 

     Terroir   

    Chuvas de aproximadamente 600mm anuais, concentradas nos meses de inverno. O verão é seco, com dias muito quentes e noites frias. A temperatura é influenciada pelas brisas marinhas do Oceano Pacífico e pelos ventos da Cordillera de Los Andes.

   Solo plano, profundo, de textura argilosa e de média fertilidade.

 Valle del Maule

 O Vale do Maule é a maior região vinícola do Chile. As variações de microclimas e solos em seu interior geram uma grande variedade de vinhos, sendo encontradas aqui praticamente todas as variedades de uvas cultivadas em todo o Chile.

  Nos últimos anos, novas tecnologias introduzidas no vale modificaram as práticas tradicionais de manejo dos vinhedos para favorecer a produção de vinhos finos de maior qualidade, particularmente nas variedades Cabernet Sauvignon e Carmenère.

   A região possui os vinhedos mais antigos da emblemática Carmenère, que recentemente foi testada com enxerto em cavalos da uva País, com excelentes resultados. Esta prática poderá resultar numa rápida conversão de variedades rústicas para mais finas, evitando o replantio de mudas jovens.

 

    Terroir   

    Clima Mediterrâneo com chuvas e frio no inverno, calor e sêca no verão. Na primavera o clima é temperado, com pouco frio e chuva, e no outono o clima é temperado sem chuvas.  As chuvas estão concentradas nos meses de inverno e primavera. Os vinhedos gozam de um clima privilegiado, com grandes diferenças de temperatura entre dias e noites. No verão, o sol invade a região, garantindo uma luminosidade extraordinária no período de maturação, que nos dá concentração de aromas e uma cor especial para os tintos. 
 

    O solo é derivado de cinzas vulcânicas, arenoso e com excelente drenagem natural.

 Vallle de Elqui

  O Vale de Elqui é uma zona localizada na área conhecida como “Chico Norte”, que ostenta também o maior centro de observações astronômica graças à limpidez de sua atmosfera.

   Estas terras, que inspiraram os versos de Gabriela Mistral, são largamente dedicadas a produção de uvas Moscatel e Pedro Ximenes, tradicionalmente utilizadas na elaboração do pisco.

   Entretanto, um crescente interesse pela produção de vinhos finos na área desde 1998, liderado pela Vinícola Falernia, resultou em um crescimento de outras variedades, como a Carmenere, a Syrah e a Zinfandel.

   A combinação de solo, clima e um bom suprimento de água da Bacia do Elqui e do Reservatório Pulclaro, fortaleceram o desenvolvimento da vinicultura nesta área.

   

   Terroir   

 

    Graças a limpidez do céu os vinhedos recebem intensa insolação durante todo o ano. Essa característica proporciona excelente qualidade  também na luz que banha os vinhedos, com grande extensão nas horas totais de insolação e no índice de fotossíntese, garantindo  perfeita  maturaçãodas uvas.

    A região é árida, as chuvas são escassas, o que exiege irrigação.

    As diferenças de temperatura entre o dia e a noite são elevadas.

 Valle de Casablanca

  Casablanca tem experimentado um grande crescimento na vinicultura nos últimos anos, resultado da criação de circuitos turísticos, restaurantes e lojas de vinhos.

  O vale, localizado entre Santiago e o maior porto do Chile, Valparaíso (recentemente declarado Patrimônio da Humanidade) combina todas as condições  para todos que visitam o país.

  Casablanca se caracteriza por ser um vale prelitoral, localiszado na planície costeira da região, a apenas 18 km do litoral e rodeado pela serra costeira.

 

 

       Terroir   

    A temperatura media do verão é de 14,4 ºC, as chuvas se concentram entre os meses de maio e outubro, com um amédia anual de 450 mm.

    Tem uma clara influência marítma, cliam bem mais frio, com neblinas matinais e uma amplituda térmica de até 19º entre o dia e anoite, o que favorece a lenta maturação das uvas.

   A influência marítima que o vale recebe faz com que a temperatura média seja moderada, alcançando não mais do que 20º C durante o período vegetativo. Isso cria excelentes condições para as variedades brancas, como Sauvignon Blanc e Chardonnay, refletindo-se no frescor e no intenso aroma cítrico de seus vinhos.Essas características climáticas trazem vinhso de qualidade superior, com muita concentração de fruta, acidez muito boa e um final brilhante.

   Casablanca se caracteriza por ser um vale prelitoral, localiszado na planície costeira da região, a apenas 18 km do litoral e rodeado pela serra costeira.

 Valle de Bió Bió 

  Por mais de 250 anos o rio Bió Bió foi a barreira natural ente os colonizadores espanhóis e as tribos Mapouche, fornecendo uma área de constante troca de produtos agrícolas e bebidas alcoólicas, tanto em tempos de guerra como de paz.

   Ainda se plantam em grande escala as uvas locais País (tinta) e Moscatel de Alejandria (branca) esta última usada na fabricação do destilado Pisco.

   Recentemente variedades de uvas como a Pinot Noir, Riesling, Chardonnay e Gewürztraminer têm sido cultivadas no vale.

   Os vinhos exigem um tipo diferente de manejo: baixo rendimento por planta (poucos cachos) para assegurar o bom amadurecimento das frutas e a boa ventilação.

 

   Recentemente vinhos Chardonnay da região receberam alta consideração internacional.

 

  

    Terroir  

    O Vale  do Bió Bió, tem condições similares às encontradas na região nordeste da França, com queda média acumulada de chuvas de mais de 1000 mm por ano e ventos do sul que diminuem a umidade das folhas. Este clima particular aliado ao manejo adequado, é o começo para mostrar o potencial e a qualidade dos vinhos de Chardonnay desta zona. Solo areno-argiloso, com excelente drenagem.

 Valle de Aconcágua

  Aconcagua, batizado com o nome do mais alto pico dos Andes (6.958m), forma o vale mais ao sul do Chico Norte. Estas zona foi uma importante passagem trans andina chamada Cristo Redentor, que liga o Chile à Mendoza, na Argentina.

 

  As variedades tintas predominam neste vale e o Cabernet Sauvignon 2003 produzido no setor de La Campana foi destaque por sua intensa cor e taninos bem definidos, enquanto os de Panquehue (destaque para a vinícola Von Siebenthal) alcançaram características de maior maturação.

 

  Maximiano Errázurriz trouxe uma grande inovação para a vinicultura da região quando plantou os primeiros vinhedos na área de Panquehue em 1870.

 

  

   Terroir  

 

   O clima, semidesértico, é estável, com alta insolação e baixo risco de geadas. As chuvas alcançam meros 200 milímetros anuais e se concentram somente no inverno. Afortunadamente, para a maturação das uvas há ventos que aliviam as altas temperaturas no verão, permitindo que as colheitas sejam retardadas e assim haja maior concentração de açúcar. Um vento frio proveniente do Pacífico sopra todas as manhãs na região. Já à tarde vem uma brisa quente originada do calor aprisionado pelas paredes da cordilheira.  

 Por ter sido uma região de extração de cobre no passado, há muito carvão e salitre na composição do solo.

  Valle de Limarí

 O Vale do Limarí é, de certa forma, uma descoberta recente, pois seus primeiros vinhos foram produzidos há 10/15 anos e de lá para cá várias das grandes potências do Chile tem “corrido” para não ficar fora desse Vale que já é uma sensação. O Vale do Limarí está muito perto do pacífico em linha direta.

O Rio Limarí desce das montanhas dos Andes, formando uma ampla bacia com o maior reservatório do Norte Chico, o que favorece toda a agricultura.

  Em 1973 esse Vale foi declarado pelo governo do Chile como monumento arqueológico nacional, devido a sua importância histórica – cultura Molle dos anos 500 a 700 – e com ocupação Inca nos meados do século XVI. Nesse vale encantado na acepção da palavra, você poderá ver petróglifos como mascarás, cabeças, tiaras, etc.

 

 

 

       Terroir   

 

     Na serra costeira os Altos de Talinay recebem a umidade do mar, gerando um afloresta com espécies vegetais que sobrevivem 1000 km ao norte de seu habitat natural.

 

       As brisas marítmas que entram no vale refrescam possíveis altas temperaturas, permitindo a produção de vinhos finos entre o setor de Socos e a cidade de Ovalle.

 

    O Vale de Limari apresenta três tipos de clima:

  -  Semi-árido com nublados duradouros : Apresenta-se ao longo de toda a Costa. Sua principal característica é a nebulosidade abundante.

  -  Semi-árido quente com chuvas de inverno :  Este clima é mais característico no Vale do Rio Limari. Este tipo de clima caracteríza-se por ser seco, e ter média anual abaixo de 18°

  -  Semi-árido  Frio com chuvas de inverno :    Este clima é presente nas Cordilheiras dos Andes acima dos 3.000 metros de altitude, com características de altas precipitações, baixas temperaturas, neve permanente e muita agua  de degelo no verão.

 

 

        Solos predominantes com calcários, PH neutro ou ligeiramente alcalino. No fundo dos vales e terraços, solos circundantes são desenvolvidos onde há salinidade moderada , o que representa bom potencial do ponto de vista da agricultura.

 Valle de Curicó

   Curicó, que significa “Águas Negras” no idioma mapuche, tem sido um importante centro agrícola da Zona Central do Chile por séculos. Ele corresponde à bacia do Mataquito, formada pelos rios Teno e Lontué.

 

     As áreas mais quentes do vale, como Lontué, produzem vinhos de Cabernet Sauvignon de alta qualidade, especialmente nos vinhedos mais velhos, alguns dos quais com mais de 80 anos de idade.

 

 

      Seu clima, caracterizado por neblina matinal e alta variação de temperatura entre o dia e a noite gera vinhos de grande acidez, o melhores de cada uma das variedades brancas, especialmente, Sauvignon Blanc, Vert e Gris.

 

       Terroir   

   

    Clima Mediterrâneo com chuvas e frio no inverno, calor e seca no verão .

    Solo entre argiloso e arenoso calcário de grande permeabilidade.

  Valle de Leyda

 O Valle de Leyda é a região mais nova do Chile (reconhecida no ano de 2002) e já se transformou em uma das mais promissoras para plantio de uvas brancas (principalmente Sauvignon Blanc e Chardonnay), além de ser uma excelente zona também para Syrah.

 

Seu comportamento é diferente do Valle de Casablanca, também próximo ao litoral, mas protegido por trechos da serra costeira.

 Terroir

 

Localizado a 14 quilômetros do Oceano Pacífico, sua proximidade do mar e com temperaturas moderadas durante a primavera e verão (devido às brisas marinhas) fazem com que o amadurecimento das uvas seja mais lento, contribuindo para o desenvolvimento de sabores e aromas diferentes e especiais.

 Valle de  San Antônio

 Os vales litorâneos de San Antonio formam a região vinícola mais próxima do oceano. Os vinhedos estão localizados em áreas entre montanhas da área litorânea, parcialmente protegidos da influência do mar.

 

    Essas condições criam um microclima bastante peculiar, propiciando o cultivo de uvas de clima frio como a tinta Pinot Noir e as brancas Chardonnay e Sauvignon Blanc, com excelente tipicidade.

 

     A produção de vinhos finos nestes vales foi iniciada pela Viña Leyda em 1998, seguida por outras.

 

Chuvas: 350mm/ano


Dados de Produção do Valle de San Antonio


Variedades Tintas: Pinot Noir ( 98 ha)
Variedades Brancas: Chardonnay ( 116 ha) - Sauvignon Blanc ( 53 ha)
Área de Uvas Viníferas: 289,00 hectares

 Valle de Itata

  O vale Itata é lar de uma tradição vinícola iniciada há mais de 400 anos no Chile. Esta tradição continua hoje, principalmente em pequenas fazendas produtoras, cuja produção é direcionada para o consumo familiar.

         As variedades predominantes na região, a rústica Moscatel Alexandria e a País estão sendo lentamente substituídas por variedades finas. 

         Novas vinícolas estão demonstrando o potencial das outras variedades, tendo surgido diversos vinhos de qualidade na região.

         Durante a última estação, o vale viveu boas condições climáticas, sem chuvas pesadas na primavera e com temperaturas adequadas no verão, que permitiram um ótimo amadurecimento das uvas e a produção de vinhos de qualidade excepcional.

 

 

Chuvas: 1.107 mm/ano


Dados de Produção do Valle del Itata
Variedades Tintas: País ( 4.238 ha) - Cabernet Sauvignon ( 374 ha)
Variedades Brancas: Moscatel de Alejandria ( 4.819 ha) - Chardonnay (345 ha)
Área de Uvas Viníferas: 1.750,00 hectares
Área de Uvas Comuns: 9.057,00 hectares
Área de Vinhedos: 10.807,00 hectares

 Valle de Cachapoal

  Os vinhedos do Vale Cachapoal aninhados na base da Cordilheira dos Andes têm ótimas condições de desenvolvimento das variedades tintas, especialmente Cabernet Sauvignon, que é uma das melhores na região.

        As características topográficas do vale criam grandes contrastes climáticos, por exemplo o setor quente de Las Cabras e Peumo, onde alguns dos melhores Carmenères chilenos são produzidos.

  Terroir

         Chuvas tardias durante a primavera, mas sem geadas e temperaturas moderadas durante o verão, que permitem um amadurecimento lento das uvas, resultando em vinhos de Cabernet Sauvignon encorpados e com taninos redondos.

 

 

Chuvas: 340 mm/ano


Dados de Produção do Valle del Cachapoal
Variedades Tintas: Cabernet Sauvignon ( 4.774 ha) - Merlot ( 1.758 ha) - Carmenère ( 599 ha)
Variedades Brancas: Sauvignon Blanc ( 583 ha) - Chardonnay ( 463 ha)
Área de Uvas Viníferas: 9.377,00 hectares