Desede a independência da França, em 1956, as regiões vitícolas do Marrocos caíram de 55.000ha para cerca de 10.000ha. Hoje a indústria é dominada pela SODEA, uma empresa estatal que está tentando superar anos de negligência. A inovadora Celliers de Meknès e vários investidores internacionais oferecem esperança, mas ainda é preciso fazer grandes progressos.

   A produção do Marrocos é dominada pelos vinhos tintos. A desbotada Carignan é a cepa mais plantada, seguida por Cinsaut e Grenache. Cabernet Sauvignon, Merlot e Syrah estão ganhando importância e são responsáveis por alguns dos melhores vinhos do país. 

    O Marrocos possui cerca de 15,000ha (37,000 acres) para a produção de vinho, com 12 regiões de Appellation d´origine.

 

 

As Principais regiões produtoras são:

 

 

Berkane e Angad

 

Pequena área no oeste, produtora de vinhos tintos.

 

 

Meknes e Fez


    A maior região produtora de bons vinhos tintos devido às montanhas. Os vinhos dessa região podem ser ricos e com aroma de cereja. As regiões de Appellation d´origine são Guerrouane, Beni Sadden e Beni Zerhoune.

Gharb e Rabat


    Nessa região estão inseridas Gharb e Zemmour, com Appellation d´origine. Dessa região vem o Gris de Boulaouane, um vinho popular, leve e rosé.

Casablanca


    Região da costa, que inclui a Appellation d´origine denominada Zenata.